Fabriquereas. Trabajo, familia y sindicalismo en la industria quimica y cosme...

Fabriquereas. Trabajo, familia y sindicalismo en la industria quimica y cosme...

Instituto de Ciencias

Fabriquereas. Trabajo, familia y sindicalismo en la industria quimica y cosmetica. Gran Buenos Aires, 2007-2011.

Este artigo explora através de uma metodologia qualitativa os processos sociais subjacentes à subordinação das mulheres no mundo do trabalho. Em particular, orienta a análise para as ligações, as articulações e tensões que surgem entre duas esferas da vida social aparentemente não relacionadas entre si: a esfera privada familiar e a esfera econômica do trabalho.
O estudo centra-se na intersecção de ambas dimensões, no caso das trabalhadoras manuais não qualificadas, em duas plantas de produção de ramos de cosméticos e produtos químicos localizadas na Grande Buenos Aires entre 2007 e 2011. Os grupos selecionados encarnar a figura do trabalhador digno da Argentina atual, isto é: registrado, convencionado e sindicalizado. No entanto, descobrimos que essa figura torna invisíveil um aspecto da vida do trabalhador coletivo que torna-se crucial quando se considera a clivagem de gênero, entendida como relação social.
A abordagem incorpora aportes a partir da perspectiva da relação social entre os sexos, a economia do cuidado e aprofunda em quatro questões emergentes dos casos selecionados. Primeiro, na forma que a construção da qualificação técnica envolve a naturalização das habilidades produtivas das mulheres nas linhas de montagem. Em seguida, ele explora como trajetórias familiares e da organização dos cuidados no domicílio das trabalhadoras são atravessados pelas rotinas introduzidas na fábrica. Então o modelo de conciliacao entre a familia e o trabalho predominantes nas léis locais e nos acordos coletivos de trabalho,é examinado críticamente, bem como a intensidade e o modo de participação feminina nas organizações sindicais. Também inquirimos no grado em que a heteronomia feminina e o distanciamento da organizacao sindical podem ser atribuídos ao modelo vigente de conciliação, tanto quanto às condições de trabalho na fábrica e ao peso dos cuidados na família. Finalmente, vamos examinar a implementação de políticas empresariais de trabalho disciplinado alimentadas e guiadas pelas representações e imagens que tendem para a reprodução dos papéis de gênero.
Nosso propósito é contribuir para um conjunto de discussões que indagam as especificidades da experiência social e do tipo de relação que as mulheres estabelecem respeito ao trabalho nas sociedades latino-americanas contemporâneas, no caso das operárias não qualificadas da indústria.

Suscripción al newsletter
Seguinos en